Órgão, que exerce as funções do extinto MinC, ficava sob a pasta da Cidadania. Filho do pastor RR Soares é um dos nomes avaliados para assumir o posto. O presidente Jair Bolsonaro transferiu a Secretaria Especial de Cultura do Ministério da Cidadania para o Ministério do Turismo, comandada Marcelo Álvaro Antônio. A decisão consta de decreto publicado nesta quinta-feira (17) no Diário Oficial da União.
A Secretaria de Cultura exerce as funções que eram de responsabilidade do Ministério da Cultura (MinC), que foi extinto no início da gestão do presidente. A transferência ocorre um dia depois de o governo exonerar o então secretário de Cultura, Ricardo Braga, que ficou dois meses no cargo. Braga havia substituído Henrique Pires, que deixou o posto em agosto, depois que o Ministério da Cidadania suspendeu um edital com séries sobre temas LGBT – o que ele chamou de censura. “Eu tenho o maior respeito pelo presidente da República, tenho o maior respeito pelo ministro, mas eu não vou chancelar a censura”, afirmou Henrique Pires quando decidiu deixar o cargo.
Entre os nomes analisados pelo presidente para o cargo está o de um filho do pastor Romildo Soares, segundo porta-voz da Presidência da República, Otávio Rego Barros. Bolsonaro recebe RR Soares, como é conhecido o pastor, na tarde desta quinta.