«

»

Pesquisa

Efeito da greve dos caminhoneiros

Preço da gasolina tem alta de 17,95%  na RMVale


 

Foi-se a paralisação dos caminhoneiros e a RMVale  ganhou de presente um aumento de até 20% no preço dos combustíveis.

A  primeira pesquisa de preços da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) após a greve, que durou de 21 a 30 de maio, revela que a gasolina foi o combustível que mais encareceu no Vale: 20%.

Antes da greve, o preço do litro podia ser encontrado a R$ 3,74 em São José dos Campos.

Uma semana após a paralisação, o valor saltou para R$ 4,49.

Além dos efeitos da paralisação, o aumento nas bombas também é reflexo do reajuste de 0,74% no preço da gasolina nas refinarias praticado pela Petrobras no mesmo dia do final da greve.

Foi a primeira alta após cinco cortes nos preços.

A pesquisa da ANP averiguou 13 postos em cinco cidades. Depois de São José, o preço mais caro da gasolina foi identificado em Taubaté, com alta de 17,95%: de R$ 3,89 para R$ 4,59. Jacareí vem logo em seguida, com reajuste de 17,55% no mesmo combustível, passando de R$ 3,76 para R$ 4,42.

Em Guaratinguetá, o litro da gasolina subiu 15,68% após a greve, chegando a R$ 4,50. Antes da paralisação, podia ser comprado a R$ R$ 3,89.

Pindamonhangaba registra a menor alta entre as cinco cidades pesquisadas pela ANP: 6,67%, de R$ 3,89 para R$ 4,15.

ETANOL E GÁS

E não foi só a gasolina que subiu. O preço do litro do etano está até 17,65% mais caro na região.

A ANP investigou postos apenas em Jacareí e constatou que o combustível está sendo vendido a R$ 2,99. Antes da greve, custava R$ 2,54.

As donas de casa também irão reclamar. O preço do botijão de 13 quilos de gás de cozinha aumentou até 50% na RMVale  depois da greve dos caminhoneiros.

Em São José, o valor subiu de R$ 50 para R$ 75. Em Jacareí, subiu 40%, de R$ 50 para R$ 70.

Ao invés do preço cair R$ 0,46 nas bombas, litro do diesel teve alta de R$ 0,57 na região

Os caminhoneiros também não têm o que comemorar na RMVale, mesmo depois de 10 dias de paralisação nas estradas.

Ao invés de cair R$ 0,46 nas bombas, como prometeu o governo federal para pôr fim à greve, o preço do diesel aumentou até 17,87% na RMVale.

Em Lorena, que foi um dos pontos de maior concentração de caminhoneiros parados na Via Dutra, o preço do combustível saltou de R$ 3,18 para R$ 3,75, uma diferença de R$ 0,57.

Nos postos de São José, o litro do diesel foi encontrado custando até R$ 3,79, alta de 15,47% comparado ao valor de antes da paralisação, de R$ 3,29.

Link permanente para este artigo: http://jornalviavale.com.br/?p=16790