«

»

Operaçao “Prato feito”

Polícia Federal faz operação contra desvio de recursos da merenda em São Sebastião

Trabalho ocorreu de maneira coordenada em cidades paulistas.

Prefeitura, alvo de mandado de busca e apreensão, diz que colabora com as investigações.

Prefeitura de São Sebastião é alvo da operação da Polícia Federal (Foto: Radar Litoral/Arquivo)

A Polícia Federal cumpriu três mandados de busca e apreensão  na Prefeitura São Sebastião,

A ação faz parte da ‘Operação Prato Feito’, que investiga fraudes em licitações da merenda em municípios paulistas.

A administração municipal disse que colabora com a investigação.

A operação, em parceria com a Controladoria-Geral da União (CGU), quer desarticular cinco grupos criminosos suspeitos de desviar recursos da União. A investigação começou após o Tribunal de Contas da União (TCU) identificar desvios em licitações relacionadas à merenda.

O trabalho ocorreu de maneira coordenada em 39 cidades paulistas.

Dois agentes públicos são alvo da investigação.

Um deles é assessor do prefeito Felipe Augusto (PSDB).

O outro, na época dos fatos, era assessor parlamentar de um deputado estadual. Eles são investigados pelos crimes de corrupção ativa, passiva e fraude em contrato da merenda.

As informações constam na representação do Ministério Público Federal

Para o MP, há indícios de um repasse de R$ 10 mil ao assessor, intermediário do prefeito, candidato na época, para obtenção de um contrato com a administração municipal. Essa transferência, conforme mostram os documentos obtidos pela promotoria, ocorreu em novembro de 2016.

O dinheiro, depositado por uma empresa do ramo alimentício, foi debitado na conta da mãe do assessor.

“Tendo em vista que a atuação dessas associações criminosas é a obtenção e manutenção de contratos fraudados mediante o pagamento de propina, é necessária a apreensão do procedimento licitatório e sua análise a fim de se confirmar a prática delitiva”, diz trecho do documento da promotoria.

A empresa fornecedora de merenda, cujo empresário é citado como envolvido na fraude, tem contrato vigente com a prefeitura desde 2015.

Porém, segundo a promotoria apontou, não há provas de envolvimento do  atual prefeito na fraude.

“Até o momento não há elementos suficientes que apontem a participação do prefeito Felipe Augusto”, diz outro trecho do relatório.

Prefeitura de São Sebastião é alvo de operação da Polícia Federal

Link permanente para este artigo: http://jornalviavale.com.br/?p=16585